Dois em cada 10 torcedores brasileiros, mais precisamente 21,3%, acabam tendo problemas no orçamento no fim do mês em virtude de gastos com futebol. Essa foi a conclusão do estudo feito pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

A paixão desenfreada pelo futebol acaba sendo mais problemática aos jovens. São eles quem mais comprometem as finanças para custear o futebol. O gasto médio é de R$256 mensais.


O estudo aponta que dos 21,3% dos torcedores que têm orçamento desequilibrado em função do futebol, quase 30% tem entre 18 a 24 anos. Além disso, 23,1% dos torcedores com contas a fechar fazem parte das classes C, D e E. A amostragem ocorreu nas capitais brasileiras.

– O time do coração ocupa um espaço importante na vida dos torcedores e isso se reflete nos hábitos de consumo. O problema é quando os gastos acabam desequilibrando o orçamento com compras não planejadas e excesso de endividamento. O mais indicado é que a pessoa reserve uma parte do orçamento para esses gastos e respeite os limites traçados, sempre de acordo com sua realidade financeira – diz o educador financeiro do SPC, José Vignoli.