“Eu não sou um prostituto da bola”, diz pai de Gerson

“Eu não sou um prostituto da bola”, diz pai de Gerson

1Aos 17 anos, Gerson teve condições de comprar uma casa para sua família em Nova Iguaçu, cidade da Baixada Fluminense. Hoje, a situação financeira é confortável, mesmo o garoto morando distante da sede tricolor, em Laranjeiras.

– Muitas das vezes, o jogador de futebol era um produto, né? Eu não sou um prostituto da bola, eu sou um pai de jogador que valorizo muito o trabalho da minha família, o trabalho do meu filho. Até me emociona porque todas as palestras que eu dava para o Gerson, para a minha família, eu falava: “Cara, você vai ser um jogador de seleção”. A gente está em uma situação tranquila, para que ele possa ir e voltar do treino tranquilo, possa viajar tranquilo sabendo que a família está bem em casa. Não está passando necessidade, isso é bem bacana. Essa casa é um presente – disse o pai de Gerson, Marcão.


Sem comentários