(Foto: Lucas Figueiredo - CBF)

Após cinco anos detido no exterior por causa do Fifagate, José Maria Marín chegou neste fim de semana no Brasil após ser libertado pela Justiça dos EUA. O ex-presidente da CBF, de 87 anos, saiu de Nova York sozinho no sábado e desembarcou em Viracopos na manhã deste domingo.

Para conseguir a liberação de Marín, a defesa do ex-dirigente usou a pandemia do novo coronavírus e os problemas de saúde do cliente como argumentos.

A juíza Pamela Chen citou na decisão que Marin está com a “saúde significativamente deteriorada” e tem “risco elevado de graves consequências para a saúde devido ao atual surto de Covid-19”. A decisão de Pamela Chen diminui a pena de Marin em um ano e dois meses.

Marin foi preso em 27 de maio de 2015 em Zurique. Em dezembro daquele ano foi transferido para os EUA. Ficou em prisão domiciliar em seu apartamento na Trump Tower até dezembro de 2017, quando foi julgado e condenado a 41 meses de prisão.