Liberado para as finais do Campeonato Carioca, o Maracanã não deverá operar com 100% de sua capacidade. A Federação de Futebol do Rio de Janeiro estuda a hipótese de não usar todo o estádio.

– Acredito que não tenhamos dificuldade para organizar a partida, mas talvez tenhamos de fazer algumas modificações. Pode ser que não tenhamos a capacidade plena – admitiu Rubens Lopes, presidente da Ferj.


A Federação conversará com a empresa que realizou o sonho da banda britânica Coldplay, no último domingo, com a finalidade de operara nas duas partidas. Valores serão debatidos.

– O Comitê Rio-2016 vai trazer planilha de custos. Acredito que não seja mais alto do que era até o último fim de semana – disse Rubinho.