Em busca de maior segurança dentro e fora dos estádios brasileiros, o Fluminense participa do projeto Torcida Pela Paz, liderado pelo Instituto FairPlay. Convocando todos os setores da sociedade, o projeto tem como objetivo principal comandar um movimento de paz no futebol, incentivando o respeito entre as torcidas e reforçando a consciência de que rivais não são inimigos. O Tricolor foi pioneiro, sendo o primeiro clube a integrar-se ao projeto.

A metodologia do Torcida Pela Paz conta com palestras, atividades experimentais e lúdicas, exercícios em grupo e encenações culturais cujos temas serão focados no relacionamento saudável entre torcedores. Os pontos focais serão escolas, vilas olímpicas e escolinhas de futebol, onde haverá a inserção do programa nas aulas de Educação Física, capacitação dos professores e treinadores de todas as atividades esportivas disponíveis e distribuição de material educativo. Como não poderia faltar, os estádios também estão incluídos no circuito, com a instalação de equipamentos para o desenvolvimento de atividades, jogos e brincadeiras.

O programa ainda espera contar com a atuação de ex-atletas e ídolos do futebol e a implantação de um observatório brasileiro de violência no esporte, além de oferecer cursos à distância para a formação de gestores de clubes esportivos em temas relacionados aos objetivos do projeto, curso de capacitação dos Agentes de Segurança Pública (Policia Civil e Militar) para coibir crimes esportivos e um curso de Direito Desportivo.

Nesta quarta-feira, aconteceu o lançamento do projeto no Instituto FairPlay e o ex-jogador e tetracampeão mundial Bebeto, que é influenciador da campanha, falou sobre a importância do Torcida Pela Paz para o futebol brasileiro.

– Sempre falo que o esporte é uma ferramenta muito poderosa de inclusão social, o futebol mudou minha vida. É importante preparar cidadãos de bem e incentivar o amor ao próximo. E esse projeto vem justamente para isso, para trazer paz nos estádios, para o torcedor ir torcer pelo seu clube sem violência. Queria dar parabéns ao Fluminense por ter sido o primeiro clube a aceitar participar do projeto – disse Bebeto.