(Foto: Divulgação)

Neste domingo, dia 03 de janeiro, um dos grandes ídolos dos anos 80 no Fluminense e um dos maiores goleadores da história do clube completaria 61 anos se estivesse vivo. Washington, do casal 20, escreveu sua história no Tricolor e participou de conquistas marcantes como o tricampeonato carioca (1983, 84 e 85) e o brasileiro de 1984.

Em seu site oficial, o Fluminense publicou um texto em homenagem ao ex-atleta relembrando sua história, carreira e passagem pelas Laranjeiras. Confira, abaixo, na íntegra:

“Hoje, 3 de janeiro, comemora-se o aniversário de Washington, parceiro de Assis no Casal 20 do Fluminense, que marcou época na década de 80. O ídolo completaria 61 anos.

Dentro das quatro linhas, o baiano representou as cores verde, branco e grená de 1983 a 1989. Com 124 gols em 305 jogos, ocupa a nona posição da lista de maiores goleadores do clube.

Washington consolidou sua passagem por Laranjeiras com títulos e lances inesquecíveis. Grandalhão, mas habilidoso, o centroavante já marcou de bicicleta contra o Flamengo e driblou uma fila de adversários para balançar a rede do Vasco.

Ao lado do Carrasco, consagrou uma das mais marcantes duplas do futebol brasileiro. A alcunha de “casal 20” surgiu da alusão ao seriado de mesmo nome da TV americana.

O craque é um dos principais personagens do tricampeonato carioca de 1983, 1984 e 1985 e do título brasileiro de 1984. Além disso, venceu competições internacionais, como o Torneio de Seul, em 1984, a Copa Kirin e o Torneio de Paris, em 1987.

Pela Seleção, acumula 2 gols em 5 partidas e conquistou a edição de 1987 dos Jogos Pan-Americanos.

Washington sofria de esclerose lateral amiotrófica (ELA), doença neurodegenerativa e sem cura. Em 2009, a torcida promoveu a campanha “Washington Day”, que visava angariar recursos financeiros para o tratamento da enfermidade.

A ação ocorreu no Maracanã, em duelo com o Athletico-PR, num domingo que ficou conhecido como o dia da gratidão.

O artilheiro morreu em 25 de maio de 2014, em Curitiba. No ano seguinte, o Tricolor lançou o livro “Washington & Assis – Recordar é viver” e inaugurou em sua sede bustos dos dois“.