O Fluminense fez vergonha na final do Campeonato Carioca, neste sábado, no Maracanã. Depois de um primeiro tempo ridículo, até acordou e brigou no segundo, mas não foi o suficiente e o Flamengo venceu por 3 a 1 para ficar com o título estadual. Marcos Felipe teve uma atuação horrorosa e errou nos três gols dos rubro-negros. Gabriel Barbosa fez dois (um em penalidade) para eles e João Gomes mais um. Fred, de pênalti, descontou.

Exceto pelos dez minutos iniciais, quando ensaiou uma marcação pressão, o Fluminense não conseguiu fazer frente ao Flamengo na primeira etapa. Viu o adversário dominar por completo com mais posse de bola e ir ganhando campo pouco a pouco. O rival, diga-se, chegava poucas vezes com perigo.

No pouco tempo que tinha o domínio da pelota, a equipe tricolor era muito desorganizada. Mal sabia o que fazer com ela. Kayky tentou umas duas e mal-sucedidas arrancadas pela direita e nada mais. Fred, sem receber, saiu da área para buscar os passes aos atacantes de lado, mas também errava.

Tudo começou a desandar nos minutos finais. Primeiro, em lançamento nas costas da defesa, Marcos Felipe saiu atabalhoadamente do gol e fez pênalti em Arrascaeta. Na cobrança, Gabriel Barbosa converteu para abrir o marcador. Logo depois, o camisa 9 rubro-negro recebeu na área e chutou forte. O goleiro tricolor, não satisfeito com a penalidade infantil, aceitou vergonhosamente: 2 a 0 para eles.

Depois do péssimo primeiro tempo da equipe, Roger Machado apostou na sua costumeira tática de trocar os pontas. No intervalo, sacou Kayky e Luiz Henrique e apostou em Caio Paulista e Gabriel Teixeira, respectivamente. De cara, as mudanças deram resultado e Caio sofreu pênalti de Rodrigo Caio. O árbitro Bruno Arleu de Araújo não viu, mas foi chamado pelo VAR para corrigir o erro grosseiro de não assinalar. Na cobrança, Fred não deu chances ao goleiro adversário.

O gol deu uma injeção de ânimo ao Fluminense. Ainda que não tenha virado um primor de time, pelo menos na vontade conseguia igualar as ações. Era lá e cá. O rival também chegava com algum perigo e Marcos Felipe chegou a fazer boas defesas em finalizações de Arrascaeta (de falta) e Gerson.

Já na base do desespero, o treinador tricolor ainda apostou nas entradas dos centroavantes Bobadilla e Hernández (nos lugares de Yago e Fred – antes havia sacado Nenê para colocar Cazares). O jogo virou uma briga de foice nos minutos finais. O Flu se lançava como dava ao ataque e o rival segurava o placar que lhe dava o título. Já no fim, com mais um erro de Marcos Felipe, que soltou chute de Pedro nos pés de João Gomes, o rival liquidou a fatura.

O Fluminense jogou com: Marcos Felipe, Calegari, Nino, Luccas Claro e Danilo Barcelos; Martinelli, Yago (Raúl Bobadilla, 36′ do 2ºT) e Nenê (Cazares, 23′ do 2ºT); Kayky (Caio Paulista, intervalo), Luiz Henrique (Gabriel Teixeira, intervalo) e Fred (Abel Hernández, 36′ do 2ºT).