Contra tudo e contra todos, o Fluminense conseguiu empate importante em partida diante do Junior Barranquilla, nesta quinta-feira, no Monumental de Guayaquil, por 1 a 1. Depois de uma maratona que passou pela Colômbia até chegar ao Equador, o Tricolor ainda foi prejudicado demais pela arbitragem. Saiu atrás no duelo quando Borja converteu um pênalti absurdo inventado, mas buscou a igualdade com Kayky. Com cinco pontos em três rodadas, segue na liderança do Grupo D da Libertadores ao lado do River Plate (ARG).

Mesmo num campo neutro, o Fluminense demorou uma eternidade a entrar no jogo. Não ficava com a bola nos pés e, para piorar, o soprador de apito chileno Julio Bascuñan, em vez de fazer algo útil da vida, como jogar dominó ou baralho na praça com aposentados, foi a campo para prejudicar e inventou rapidamente um pênalti vergonhoso para os colombianos. Diz o ditado que penalitade roubada não entra… Mas Borja ignorou tal máxima e acertou uma bicuda no canto sem chances para Marcos Felipe.

Se já não estava legal, o panorama para o Tricolor ficou ainda mais complicado. Sem capacidade de criação e pilhado, viu o adversário tomar conta das ações, mesmo que de forma territorial e sem chances claras de ampliar. Ainda que não tenha jogado bem em toda a primeira etapa, o Fluminense ainda conseguiu buscar o empate antes do intervalo. Espero, Kayky aproveitou escanteio no segundo poste, dominou e acertou chute de direita no canto de Viera.

No segundo tempo, o Flu conseguiu igualar as ações. Nenê, até então peça apagadíssima, entrou mais na partida e buscou armar as jogadas. Chegou a dar cruzamento para cabeçada de Fred e excelente defesa do goleiro colombiano. Situação essa que se repetiu em cobrança de lateral de Danilo Barcelos direto na área. Ainda era pouco. O técnico Roger, então, decidiu fazer alterações no sentido de dar maior intensidade ao time. Não alterou nada em termos de sistema. Trocou as pontas com Caio Henrique e Gabriel Teixeira nos lugares de Luiz Henrique e Kayky, respectivamente, e, minutos mais tarde, lançou Cazares e Bobadilla nos lugares de Nenê e Fred.

Sem a mesma pujança da primeira metade do duelo, o Junior levava perigo em lances esporádicos, como chute de Pajoy que beliscou o travessao, mas o Flu na reta final era ligeiramente superior. Diante de tantas dificuldades encontradas com logística e uma arbitragem vergonhosa, o empate até ficou de bom tamanho.

O Flu volta a campo pela Libertadores na próxima quarta, contra o Independiente Santa Fe, no Maracanã. Antes, joga a volta da semifinal do Carioca, domingo, frente a Portuguesa, no mesmo local.

O Fluminense jogou com: Marcos Felipe, Calegari, Nino, Luccas Claro e Danilo Barcelos; Martinelli, Yago (Wellington, 45′ do 2ºT) e Nenê (Cazares, 27′ do 2ºT); Kayky (Gabriel Teixeira, 18′ do 2ºT), Luiz Henrique (Caio Paulista, 18′ do 2ºT) e Fred (Bobadilla, 27′ do 2’ºT).