Gravatinha, símbolo da empresa, "veste" Magno Alves

As trocas de mensagens entre os perfis oficiais de Fluminense e Chevrolet, que movimentaram as redes sociais nos últimos dias, não passaram de brincadeira. O patrocínio da empresa automobilística ao Tricolor, por enquanto, segue no campo da hipótese. Não existe negociação em curso, mas o clube difundiu ideia de um torcedor com esta esperança.

– Foi uma brincadeira e quem sabe não saia algo? Partiu de um torcedor, o pessoal de mídia do Fluminense viu e entrou no meio, depois que a própria Chevrolet deu a deixa, para a gente mostrar para todo mundo que estamos atentos a tudo. Surgiu de uma brincadeira, mas vai que dá certo? Desta forma, o torcedor percebe que o Fluminense está antenado a tudo e não vai deixar passar nada. Há um cuidado de mostrar o mercado, trabalhar, estar atento as oportunidades . O torcedor do Fluminense compra mesmo, abraça a ideia. Basta olhar a repercussão que deu isso, indo até para os TTs (Trending Topics do twitter). Não serve só para a Chevrolet, mas para qualquer empresa ver o impacto e força de repercussão que as coisas têm no Tricolor – disse ao NETFLU um dirigente ligado ao conselho diretor, que não quis se identificar.

A ideia partiu de um torcedor. A Chevrolet levantou a hipótese e o Fluminense indagou sobre a possibilidade. Um site projetou a logomarca da empresa na camisa e a notícia, rapidamente, foi difundida. Após o jogo contra o Figueirense, o clube carioca publicou uma montagem de Magno Alves, autor do gol da vitória, com uma gravatinha dourada, símbolo da Chevrolet. O perfil da fabricante de veículos apagou todos os tuítes.