Foto: Paulo Brito/NETFLU

Falta muito pouco para o pleito eleitoral do Fluminense. No próximo sábado, sócios vão definir quem sucederá o presidente Pedro Abad no comando do clube até o fim de 2022. A eleição foi antecipada pelo mandatário, por julgar não ter mais  condições de comandar o agremiação tantas vezes campeã. Entretanto, uma resolução chamou a atenção: os jornalistas não poderão fazer boca de urna, como ocorreu nas últimas quatro eleições do clube, pelo menos.

NETFLU entrou em contato com o presidente do Conselho Deliberativo, Fernando César Leite, que explicou que a ideia é não esvaziar o pleito, adotando critérios similares aos de eleições comuns. Entretanto, a medida pode ser revista no dia da eleição.


– Caso um candidato abrisse uma vantagem muito grande, eleitores de outro candidato poderiam deixar de ir ao clube votar, o que prejudicaria o pleito. Isso não impede, porém, de revermos a decisão no sábado – destacou ao site número um da torcida tricolor.

Por determinação da presidência do Conselho Deliberativo, os credenciados deverão observar as seguintes regras:

* Jornalistas serão alocados no primeiro andar da sede;
* Pesquisa de boca de urna não será permitida;
* Imagens serão feitas no Salão Nobre, a partir do mezanino, em períodos coordenados.