Pensou que não ia ter dossiê do Criciúma? Aqui é trabalho, meu filho! Precisamos entrar em campo com o nosso Fluzão sempre bem preparados.

Sim, o Criciúma joga a Série C e o Fluminense é franco favorito no confronto. Não podemos fugir dessa responsabilidade. Mas todo adversário apresenta desafios a serem superados, e conhecer suas virtudes e fraquezas sempre facilita a missão.

O torcedor mais atento sabe que o Criciúma foi rebaixado no campeonato catarinense deste ano. Mas após esse gigantesco fracasso eles trocaram de treinador, contrataram o histórico ex-jogador Paulo Baier para comandar o time, e fizeram uma limpa no elenco. O time titular é totalmente diferente do que jogou o estadual.

O time atualmente está na terceira posição no seu grupo da Terceirona e tem uma das melhores defesas da competição, tendo sofrido apenas 6 gols em 9 jogos. Por outro lado, a média de gols marcados também é baixa, com apenas 8 gols feitos. Já deu para entender o desafio que nos espera, né?

O Criciúma de Paulo Baier joga no 4-2-3-1 e é um time intenso que define as jogadas de ataque com rapidez, num modelo de jogo muito parecido com o do Flu de Roger Machado. Dificilmente eles trabalham a bola pacientemente no campo de ataque trocando muitos passes. Por isso eu me surpreenderia muito se a estratégia adotada contra o Fluminense não fosse baixar as linhas de marcação e jogar no contra-ataque.

Primeiro desafio detectado. O Flu atual se sente extremamente desconfortável quando se vê obrigado a propor o jogo e tem muita dificuldade de criar jogadas quando o adversário compacta as linhas defensivas no campo de defesa. E não acredito que o Criciúma irá assumir grandes riscos na saída de bola que nos possibilite o tão amado jogo de retomada e aceleração. Mas tudo pode mudar se conseguirmos sair na frente no placar jogando fora de casa.

Será que Roger vau ser capaz de mostrar repertório? Porque time pequeno jogar na retranca é mais velho que andar pra frente… Não vai adiantar reclamar na coletiva que o adversário não quis jogar.

Ofensivamente falando, as principais virtudes do Criciúma são as jogadas de ultrapassagem dos laterais, com bons cruzamentos do lateral-direito Alemão e um interessante jogo apoiado com o lateral-esquerdo Helder, e as jogadas em velocidade com os atacantes de lado. Mas inicialmente não apostaria muito na subida constante dos laterais não.

Os destaques individuais ficam por conta das cobranças frontais de falta e a movimentação do dinâmico meia Felipe Mateus. A velocidade do ponta direita Hygor, que é limitado tecnicamente e fraco nas jogadas individuais, mas tem uma entrada perigosa no facão. Como a cobertura do lado oposto não é o forte do possante Gidão, podemos ter problemas. E tecnicamente o jogador mais qualificado é o recém-contratado ponta-esquerda Silvinho, que joga com pé trocado e sempre corta pro meio buscando perigosos cruzamentos chutes. O veterano centroavante Marcão é muito forte fisicamente e sempre perigoso no jogo aéreo.

E o caminho das pedras, Thiago? Porque o objetivo é vencer e precisamos falar sobre como podemos buscar essa vitória.

O melhor caminho é buscar criar jogadas pelas pontas, é por onde o Criciúma mais dá espaços, pois a dupla de volantes fecha bem a entrada da área. Principalmente pela direita do nosso ataque, pois o atacante Silvinho tem deficiência na recomposição defensiva. Mas é importante buscar triangulações visando o fundo ou jogadas de ultrapassagem. Insistir em cruzamentos da intermediária vai consagrar a zaga deles que é forte no jogo aéreo.

E se uma eventual vantagem no placar para o Flu obrigar o Criciúma a adiantar as linhas, os espaços para contra atacar pelas pontas será farto. Disso não tenho nenhuma dúvida.

Pra terminar, vamos ter uma conversa olho no olho. Com todo respeito ao adversário, o Fluminense tem obrigação de passar pelo Criciúma. Uma eliminação seria um vexame enorme. Precisamos passar e vamos passar.

Precisamos assumir o protagonismo ao qual estamos destinados. Vence o Fluminense!

Time base do Criciúma: Gustavo, Alemão, Rodrigo Fagundes, Marcel e Helder; Arilson, Dudu Vieira e Felipe Mateus; Hygor, Silvinho e Marcão.

Como curiosidade, provavelmente os ex-tricolores atacante Maranhão e meia Dudu começarão no banco.