O Fluminense já retirou a Dryworld de seu site oficial e backdrop e cobrará na Justiça R$ 100 milhões, valor da multa rescisória. Paralelamente, negocia com outras empresas de fornecimento de material esportivo e quem ganha força é a norte-americana Under Armour.

Porém, a empresa só poderia assinar com qualquer clube brasileiro a partir de abril, pois é o que está previsto no contrato assinado com o São Paulo. O namoro segue.

Há negociações com a Nike, mas esbarram na dificuldade de a empresa entregar o material no primeiro semestre.

Quanto a Dryworld, pelo acordo firmado, se uma das partes quebrasse o contrato seria obrigada a pagar o equivalente a 150% do que resta a ser quitado. O vínculo ainda tinha mais quatro anos de duração. Só em dinheiro vivo, o Fluminense teria a receber mais R$ 13,5 milhões anuais, cerca de R$ 6 milhões em parcelas não pagas de 2016 e mais as premiações pelo título da Primeira Liga e pelo 13º lugar no Brasileiro. Sem contar o valor em material esportivo.