Maracanã deverá ficar mesmo com consórcio de Eike Batista

Maracanã deverá ficar mesmo com consórcio de Eike Batista

A segunda fase da licitação da concessão do Maracanã foi concluída nesta segunda-feira. Após a análise das propostas econômicas e técnicas, o consórcio Maracanã S.A (Odebrecht Participações e Investimentos S.A, IMX e AEG) teve nota final de 98,26 pontos, enquanto o consórcio composto por a OAS S.A., Stadion Amsterdam N.V. e Lagardère somou 94,4624.

O Maracanã S.A, que conta com a participação do bilionário Eike Batista, proprietário da IMX, já havia apresentado a maior proposta financeira.  Foram oferecidos 5,5 milhões anuais como outorga ao Governo do Estado do Rio contra R$ 4,7 milhões da concorreente.

Agora, a próxima etapa consiste na abertura da documentação da licitante que obteve a maior nota, no dia 9 de maio, às 10h.

Depois do julgamento da documentação e esgotado o período de recursos, o futuro administrados do Maracanã será conhecido.