Bittencourt diz que clubes não elaborarão proposta do nada e, sim, ouvirão de empresas especializadas (Foto: Lucas Merçon - FFC)

As discussões em torno de uma possível liga de clubes para organizar os Campeonatos Brasileiros nas Séries A e B seguem acaloradas. Nesta sexta-feira, Mário Bittencourt, presidente do Fluminense, falou, em entrevista ao SporTV, a respeito da posição tricolor na questão e das agremiações com as quais está alinhado. Ele revelou ainda que haverá uma reunião na próxima segunda com duas empresas para a elaboração de uma proposta que consideram mais justa para a divisão dos recursos caso o projeto saia do papel.

O Fluminense faz parte do grupo que não concorda com o projeto apresentado pelos cinco representantes de São Paulo na Série A mais Flamengo.

— Não existe um racha. Só existe racha se existir algo consolidado. Se tiverem dois grupos, aí vai caminhar para dois grupos vendendo pacotes de TV em separado. Não temos um grupo assinado. O Fluminense faz parte de um grupo de ideias. Se estiver como está agora, pensando que no grupo daqui tenha 11 da Série A e o de lá nove. Cada um desses 11 com 19 em casa, levando em consideração a Lei do Mandante. Ouvimos de empresas que os jogos deles, com menos representantes e maiores torcidas, que poderá ser mais atrativo para a TV aberta. O nosso para a TV fechada, pois terá mais jogos a serem exibidos. A nossa reunião também contará com duas empresas que podem levar propostas importantes. Não é algo que criaremos da nossa cabeça. Uma (empresa) já trabalhou com a La Liga espanhola e a outra é especialista em venda de direitos. Nosso torcedor, não só do Fluminense, pode estar se perguntando: E se no final todos forem para a proposta deles? Não vai evoluir em nada, mas não muda. Pois a proposta deles é o que já existe – disse, prosseguindo:



— Eu me dou bem com todos eles (representantes dos outros clubes). Eu falei hoje, por exemplo, com o Landin (do Flamengo), pois temos agendas em comum como a do Maracanã (os dois clubes gerem o estádio). Ele sempre é direto no que considera melhor pro clube dele e eu pro meu. Eles vão usar argumentos para dizer que criaram critérios para diminuir a diferença. Nós não vemos isso. Não adianta tentar nos convencer que se criar uma liga com dinheiro a mais pro bolo. A nossa preocupação não é ganhar mais. O Fluminense não quer ganhar mais. Quer ganhar mais, mas também diminuir a diferença. Segunda-feira, 26 clubes, salvo engano, estarão juntos em reunião na qual as duas empresas terão uma apresentação do que se faz normalmente na Europa e teremos algo de modelo para apresentar, caso eles estejam propensos a ouvir. Nós temos uma proposta de 20% do recurso por exemplo para a Série B. Eles querem 15%. Clubes como Cruzeiro, Vasco, Grêmio perderam receitas importantes. É importante resguardar também o direito desses clubes para o caso de acontecer um revés de cair para a Segunda Divisão.