Misto do Flu sufoca, mas não sai do empate com o D....

Misto do Flu sufoca, mas não sai do empate com o D. de Caxias

09_ZOOMPoupando muitos titulares, já pensando na fase final do Campeonato Carioca, o Fluminense foi a Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, encarar o Duque de Caxias. Ainda com possibilidade de beliscar o título da Taça Guanabara, Renato Gaúcho montou uma equipe ofensiva, com três atacantes. Apesar disto, o Time de Guerreiros não saiu do empate em 2 a 2.

Mesmo com uma equipe repleta de reservas, o Fluminense demonstrava mais tranquilidade para tocar a bola. Mesmo assim, isso não se resumia em efetividade ofensiva. Aos 10 minutos, Alex Terra, ex-jogador do Fluminense, abriu o placar, subindo sozinho para cabecear. Sem comunicação entre Bruno e Cavalieri, o atacante teve todo o tempo do mundo para se posicionar e mandar a bola para as redes. O Tricolor tentou a resposta rapidamente, mas faltava caprichar mais nos lances ofensivos. No primeira jogada de inspiração da equipe, Waltinho estufou o peito e ajeitou bonito para Wagner. O meia, por sua vez, com a canhotinha, encheu o pé, mandando a bola no canto esquerdo do arqueiro adversário.

Os tricolores tiveram pouco tempo para comemorarem o gol. Dois minutos após o empate, Adriano acertou o ângulo de Cavalieri, em cobrança de falta perfeita, da intermediária. Melhor jogador do Flu em campo naquele momento, Wagner quase empatou aos 24 minutos, mandando a “redondinha” na trave. Também fazendo grande jogo, Walter, no papel de garçom, deixara uma bola açucarada para Marcos Junior, aos 32 da etapa inicial. O finalização do atacante, porém, saiu errada, perdendo grande chance de um novo empate. O gordinho estava encapetado. Pouco antes dos 40 minutos, numa jogada individual, ele tirou dois adversários da marcação e cruzou. Por centímetros, Biro Biro não alcançou a bola.

Dentre os atacantes, quem destoava mais era Marcos Júnior. Muitas vezes afoito, o atleta não produzia jogadas objetivas. Já na defesa, a pane era geral. Os defensores tricolores sofriam com a velocidade e os contra-ataques da equipe da baixada. Ailton, perdido, não via a cor da bola direito.

Na etapa final, logo no início, um fato mudaria a dinâmica da partida. Elinton Andrade, arqueiro do Duque de Caxias, foi expulso após sofrer segundo amarelo, por reclamação. O Time de Guerreiros passou a exercitar seu ataque contra a defesa. Procurando o resultado, Renato Gaúcho tirou Willian, colocando Higor e, também, pôs Michael no lugar de Marcos Junior. As alterações surtiram efeito. Eram rolados pouco mais da metade da segunda etapa, Higor deslizou, tirou a bola do defensor e achou Walter, livrinho, para mandar de cabeça para o fundo do gol. O Fluminense insistiu, a partir do empate, mas esbarrava no bloqueio defensivo do Duque de Caxias. Com a igualdade, a chance de título diminuiu, mas o Tricolor está praticamente certo na próxima fase.


Sem comentários