O NETFLU completa exatamente oito anos de existência nesta segunda-feira, 5 de dezembro. Um orgulho enorme para mim, como um dos fundadores. Jamais poderia imaginar que manteria um site por tanto tempo e que, através dele, poderia deixar a mídia convencional para tocar um projeto único.

Em 2008 integrei este que é o portal mais acessado pela torcida do Fluminense sem qualquer pretensão. Muitos ajustes foram feitos, alta rotatividade, até a consolidação da equipe e da linha editorial. Além de ocuparmos a posição de destaque entre as mídias segmentadas tricolores, somos o quarto site independente de clube mais visitado do país.

Vez por outra não somos bem compreendidos. Ao reportarmos completamente tudo o que a grande imprensa produz sobre o clube que amamos, sofremos críticas. Acham que deveríamos servir a instituição, ignorando completamente os preceitos da profissão: imparcialidade. Embora composto estritamente por tricolores, o NETFLU não é um site de torcida.

O NETFLU não possui vínculos partidários dentro do Fluminense. Nem tem a pretensão. A missão é apenas uma: informar. Acertamos muitas vezes, falhamos em outras, mas o objetivo é alcançado. O torcedor, ao acessar o portal, tem a certeza de que não lhe falta nada sobre o que cerca o Fluminense Football Club.

São mais de 124 milhões de visitas no período, oriundas de 213 países e quase 1.200 cidades brasileiras. Nas redes sociais, temos mais de 533 mil seguidores. Ano após ano, nunca paramos de crescer e isso se deve a confiança de quem nos prestigia diariamente.

Desde 2013 contamos um setorista dentro do clube, o jornalista Paulo Brito, que trouxe todas as novidades diretamente das Laranjeiras e a partir de 2017 do CT da Barra. Matérias especiais, entrevistas, furos de reportagem. Isso só foi possível graças a você, internauta.

A evolução da marca NETFLU ao longo dos anos
A evolução da marca NETFLU ao longo dos anos

Para que a coisa flua, contamos com uma ágil equipe de redatores, que, praticamente, não pisca na tela do computador. Estamos sempre ligados em todos os programas de rádio, tv, internet para trazer ao tricolor o que ele quer saber. No NETFLU também é possível estar na moda, se vestir bem, através da nossa loja virtual.

Ao longo desses oito anos, fizemos inúmeras promoções e concursos culturais. Levamos o torcedor para ver o Fluzão na Libertadores, premiamos com vários produtos oficiais: camisas, calção, bola, chuteira, livros… Até cerveja artesanal já promovemos!

Democraticamente, contribuímos para as eleições do clube neste ano, realizando, em parceria com as Faculdades Integradas Hélio Alonso (FACHA), o debate dos presidenciáveis. Lotamos o auditório da universidade, na Zona Sul do Rio, e transmitimos o evento ao vivo.

Neste 2016, porém, tivemos o triste episódio da censura ao nosso portal. Dezenas de colegas de profissão se posicionaram de maneira contrária à atitude da diretoria, como o saudoso Victorino Chermont, que nos deixou na última semana, vítima do trágico voo da Chapecoense.

Aderindo o pensamento do sábio George Orwell que dizia que “Jornalismo é publicar aquilo que alguém não quer que se publique. Todo o resto é publicidade”, mantivemos nossa independência. Sem alterar nossa conduta, nem a linha editorial, voltamos a frequentar o clube dois meses após o ato arbitrário, mostrando absolutamente tudo aquilo que o torcedor não só pode, como deve saber.

No mais, o meu muito obrigado àqueles que contribuíram para que o NETFLU se tornasse no principal canal de informação do Fluminense: Márcio Estanislau, Allex Ximenes, Bruno Braz, Diego Rodrigues, Karen Dias, Igor Menezes, Jonathan Christian, Luiz Carlos Máximo, Michael Simoni, Renata Jamús, J.T de Carvalho, Mário Bittencourt, Márcio Rocha, Roberto Sander, Manfrini, Roger Machado, Washington Coração Valente, Daniel Guimarães, João Marcelo Garcez, Beto Sales, Nina Lessa, Jorge Nunes, Marcos Caetano, Rafael Menezes, Rodrigo Mendes, Paulo Brito e, principalmente, você, leitor fiel.