(Foto: Lucas Merçon/FFC)

A partir de 2021, o Mundial de Clubes da FIFA passará a ser disputado por 24 clubes e acontecerá de quatro em quatro anos, com 6 vagas para sul-americanos. Com isso, a ideia da Conmebol é que os quatro campeões da Libertadores e dois da Sul-Americana sejam os representantes. 

Em entrevista ao portal Globoesporte, o presidente do Fluminense, Pedro Abad, se posicionou sobre a mudança, a qual considera benéfica para o futebol brasileiro por aumentar as chances dos mesmos.

– O Mundial de Clubes sempre contou com apenas um represente da América do Sul que, atualmente, precisa jogar duas vezes para chegar à final. Com a ascensão das equipes asiáticas e africanas tornou-se necessário fazer um torneio maior, aumentando o número de jogos e legitimando ainda mais o campeão. Com isso, aumentam as chances de os times sul-americanos participarem e, consequentemente, conquistarem a competição – disse o mandatário.