O Fluminense entrou com um processo contra a Valle Express no início deste mês, em função dos atrasos da empresa no repasse dos valores combinados no contrato do patrocínio master. Na petição inicial, obtida pelo NETFLU, todos as parcelas atrasadas, desde o primeiro mês, foram destrinchadas pelo clube.

Confira: 

Por contrato, o Fluminense poderia ter rescindindo o acordo com a empresa de cartões de crédito desde o terceiro mês débito, fosse ele consecutivo ou não. O clube, porém, só resolveu agir a partir do quinto mês de atraso das parcelas, totalizando R$ 1,4 milhões, além do que tinha a receber até o fim de 2019, quando finalizava o contrato.