Técnico Fernando Diniz já se colocou à disposição para tentar ajudar John Kennedy (Foto: Lucas Merçon - FFC)

Considerado um talento, mas repleto de polêmicas ao seu redor, além dos problemas com leões, John Kennedy tem se tornado cada vez mais raro entre as alternativas do Fluminense. Sumido do noticiário desde o fim de março, quando havia sido reintegrado ao grupo no Fluminense após se recuperar da cirurgia no pé direito, John Kennedy voltou a ser notícia no último domingo, mas desta vez fora de campo. Um carro que pertence ao atacante foi apreendido pela Polícia Militar em Itaboraí, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, com 10 gramas de maconha e sem carteira de habilitação do motorista. O jogador não estava no veículo no momento da prisão e compareceu à 71ª DP posteriormente, quando solicitado.

Ao portal GE, a assessoria da polícia informou que o atacante foi “autuado por crime previsto no Código de Trânsito Brasileiro por permitir, confiar ou entregar a direção de veículo automotor a pessoa não habilitada, com habilitação cassada ou com o direito de dirigir suspenso”. Apesar da pena prever a possibilidade de detenção de seis meses a um ano, por se tratar de um prazo curto ele é passível de acordo com o Ministério Público. O jogador não corre risco de ser preso e já foi liberado pela PM.

Contudo, por que John Kennedy continua sem jogar pelo profissional nesta temporada? Depois de viver momentos de destaque no time principal em 2021, o jovem de 19 anos foi cedido em janeiro para o sub-20 para disputar a Copa São Paulo, onde foi um dos destaques da equipe com cinco gols e uma assistência. Após a eliminação tricolor nas oitavas de final, o atacante ganhou mais alguns dias de férias, já que se reapresentou mais cedo para iniciar a preparação para a Copinha.


Nos últimos dias das férias, John Kennedy sofreu uma fratura no quinto metatarso do pé direito ao jogar uma pelada com amigos. No dia 10 de fevereiro, ele foi operado e colocou um parafuso canulado para corrigir a lesão. O prazo de recuperação girava em torno de dois meses, e o atacante no fim de março voltou a treinar com o grupo. No treino aberto em Laranjeiras, por exemplo, em 8 de abril, a torcida viu o jovem participando normalmente dos trabalhos com bola.

Tudo evoluía bem, até que John Kennedy voltou a sentir dores no local, durante um treinamento no CT Carlos Castilho, e precisou regredir na recuperação. No dia 15 de abril, ele postou em seu perfil no Twitter esta mensagem, mas em seguida apagou: “Tudo dando errado!! Deus me abençoe 🙌🙌”. Na noite do dia 27 de abril, outra postagem, desta vez no modo stories do Instagram, indicava que o atacante também passo por um mal-estar no fim do mês: “Passando muito mal, que isso 🤢🤮”.

Desde então ele ainda não voltou a treinar com o restante do elenco e vem fazendo trabalhos na academia. Internamente, o discurso é que o jogador está novamente na fase de transição para o campo e continua sem prazo para retornar. Sem John Kennedy, o Fluminense viaja na manhã desta terça-feira para Goiânia, onde enfrenta o Vila Nova-GO na quarta, às 21h30 (horário de Brasília), no Serra Dourada, pelo jogo de volta da terceira fase da Copa do Brasil.