(Foto: Lucas Merçon/FFC)

Deixaram saudades? O que aconteceu com aquele jogador que vestiu a camisa do Tricolor, talvez até tenha conquistado algum título, aceitou uma proposta para jogar no exterior e simplesmente desapareceu do radar da imprensa brasileira?

É bem provável que ele esteja “escondido” em algum cantinho do mundo que não sejam os principais campeonatos nacionais da Europa (Inglês, Espanhol, Italiano, Alemão ou Francês) e nem tenha o prazer de disputar a Liga dos Campeões. Em cima disto, o “Blog do Rafael Reis” revela onde estão alguns atletas que defenderam o Fluminense recentemente:

HENRIQUE
Zagueiro
33 anos
Belenenses (POR)

Parte do elenco da seleção brasileira que disputou a Copa do Mundo-2014, o zagueiro que também jogou no Coritiba, no Palmeiras e no Corinthians vestiu a camisa do Fluminense durante duas temporadas (2016 e 2017) e conquistou um título da Primeira Liga e outro da Taça Guanabara. Depois de um ano atuando nos Emirados Árabes, Henrique assinou no mês passado com o Belenenses, clube que até já ganhou o Campeonato Português (lá na década de 1940), mas que hoje se contenta em permanecer na primeira divisão do país -escapou por pouco do rebaixamento na temporada passada.

YONY GONZÁLEZ
Atacante
26 anos
Los Angeles Galaxy (EUA)

O velocista colombiano teve uma passagem bem positiva pelo Flu no ano passado e foi um dos destaques da passagem de Fernando Diniz pelo clube. Depois da saída do hoje treinador do São Paulo, Speedy perdeu um pouco de desempenho, mas ainda é lembrado com carinho pelo torcedor tricolor. Atualmente, Yony González tem contrato com o Benfica. Mas, como não faz parte dos planos do técnico Jorge Jesus, está emprestado ao Los Angeles Galaxy. Nos Estados Unidos, tem deixado a desejar. Participou apenas dos minutos finais de duas partidas e foi derrotado em ambas (2 a 1 contra o San Jose Earthquakes e 6 a 3 ante o Portland Timbers).

AYRTON LUCAS
Lateral esquerdo
23 anos
Spartak Moscou (RUS)

Formado na base tricolor, precisou ser emprestado a Madureira e Londrina para ganhar experiência antes de assumir a lateral esquerda do Fluminense e começar a entregar aquilo que se esperava dele. Ayrton Lucas foi titular do time durante toda a temporada de 2018 e rapidamente atraiu a atenção de equipes da Europa. Por 7 milhões de euros (R$ 45,6 milhões), foi negociado no começo do ano passado com o Spartak Moscou, um dos clubes mais poderosos da Rússia. Titular no país-sede da última Copa do Mundo, ele é forte candidato a disputar os Jogos Olímpicos de Tóquio-2021 com a seleção sub-23 do Brasil.

SAMUEL
Atacante
29 anos
Al-Nasr (EAU)

Integrante do elenco que ajudou o Fluminense a ser campeão brasileiro em 2012, passou os últimos quatro anos do seu contrato com o time carioca acumulando um empréstimo atrás do outro e chegou a jogar até nos Estados Unidos. Samuel mudou-se para a Ásia em 2016 e, desde então, já defendeu quatro equipes: três delas nos Emirados Árabes (Hatta, Al-Nasr e Fujarah) e uma na Coreia do Sul (Jeonbunk Hyundai), para onde esteve emprestado no ano passado. Atualmente, vive em Dubai e cumpre a última temporada do seu vínculo com o Al-Nasr.

ALEJANDRO MARTINUCCIO
Meia-atacante
32 anos
Boston River (URU)

Destaque do Peñarol no começo da década, foi o pivô de uma briga judicial entre Palmeiras e Fluminense pela sua contratação. A equipe carioca levou a melhor e ficou com o jogador, mas não teve muitos motivos para comemorar. Martinuccio foi uma enorme decepção nas Laranjeiras, disputou apenas 15 partidas oficiais com a camisa tricolor e permaneceu a maior parte do tempo do seu contrato emprestado a outras equipes. Depois de encarar a terceira divisão da Espanha na temporada passada, o argentino voltou a uma competição de elite neste ano… mas não se sabe por quanto tempo. Afinal, o Boston River, time treinado por Loco Abreu, ocupa a lanterna do Campeonato Uruguaio.

RHAYNER
Meia-atacante
30 anos
Sanfrecce Hiroshima (JAP)

Um daqueles típicos jogadores de velocidade que atuam pelos lados do campo, teve uma passagem de bastante barulho pelo Fluminense em 2013. Parte da torcida adorava o jogador pela aceleração que dava ao time e também pela dedicação que demonstrava em campo. Só que outros tantos torcedores pegavam pesado no pé de Rhayner pela dificuldade de colocar a bola dentro das redes. Atualmente, o meia-atacante está em sua segunda passagem pelo futebol japonês. Depois de defender o Kawasaki Frontale em 2017, joga desde o ano passado pelo Sanfrecce Hiroshima. Em 2020, já disputou 20 partidas oficiais, mas ainda não fez nenhum golzinho.

FABIÁN MONZÓN
Lateral esquerdo
33 anos
Atlético Tucumán (ARG)

O lateral desembarcou nas Laranjeiras no começo de 2013 com status de reforço de peso. Afinal, Monzón já havia tido passagens por Boca Juniors, Betis, Lyon, Nice e pela seleção argentina. Só que as coisas no Fluminense não foram tão bem assim. Monzón pouco jogou no Brasil e voltou para a Europa apenas seis meses depois de sua chegada ao país. Em uma carreira cheia de oscilações, chegou a ficar um ano desempregado antes de assinar com o Atlético Tucumán, em 2019. Neste ano, chegou a disputar as fases preliminares da Libertadores, mas perdeu para o Independente Medellín antes de chegar à etapa de grupos.