(Foto: Mailson Santana/FFC)

Em seu blog no portal Uol, o jornalista Paulo Vinícius Coelho, o PVC, comentou sobre a possível chegada de Fernando Diniz para assumir o comando técnico tricolor. Para ele, o sucesso de Diniz no Flu pode ser beneficiado pela presença de um nome em especial: o diretor de futebol do clube, Paulo Angioni. Que tem experiência em acalmar ambientes e dar tranquilidade para o profissional trabalha. Confira a opinião do jornalista na íntegra:

“Ninguém discute a capacidade inovadora de Fernando Diniz, sua ousadia na montagem de equipes e seu estilo moderno que sai do lugar comum. Por outro lado, há depoimentos de quem assistiu aos seus treinos ou o viu à beira do campo em jogos treinos que demonstram que seu avanço definitivo pode se dar com melhor relacionamento. Gerenciamento de pessoas faz parte do trabalho do técnico, tanto quanto a parte tática. Fernando Diniz pode avançar muito com este mínimo detalhe, pois há no Fluminense um especialista nesse assunto. Chama-se Paulo Angioni.

O diretor-executivo de futebol tricolor sempre foi uma espécie de ministro secreto das relações interiores. Hábil e silencioso, trabalhou no Vasco, Flamengo, Corinthians, Palmeiras e Fluminense. Ter espaço em cinco dos oito grandes clubes nos dois estados mais influentes do Brasil dá demonstração de sua capacidade de diálogo. Em 1998, assumiu o departamento de futebol do Palmeiras, como diretor da Parmalat. Felipão vivia um inferno astral. Sua chegada ao Palmeiras aconteceu sob a bênção de Paulo Russo, diretor que se definia como mais ”sanguíneo” do que seu antecessor, José Carlos Brunoro. O sangue subiu tanto que Felipão chegou a agredir o repórter Gilvan Ribeiro. Mustafá Contursi estava decidido a demiti-lo. Angioni segurou. A ação de Paulo Angioni, na época, foi importante para que Felipão permanecesse e, em seguida, ganhasse a Copa do Brasil de 1998. Foi o grande impulso para ser ídolo do Palmeiras, como é até hoje”.