Foto: Nelson Perez
Foto: Nelson Perez

Logo depois do jogo contra o Botafogo, quando Gerson e Kenedy ajudaram o Fluminense a vencer o clássico, a comissão técnica convocou uma reunião. Na última segunda-feira, além dos dois, Marlon e Robert foram chamados à sala do técnico Cristóvão Borges.

A conversa teve como objetivo lembrar que os garotos precisam sempre estar com os pés fincados no chão, para que não se iludam com o momento e as notícias que saem na imprensa.

O exemplo é Marcos Júnior. Estourou no começo de 2012, depois de ter sido um dos nomes do vice-campeonato da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Na ocasião, Deco deu um puxão de orelhas e ironizou o atacante, que dizia que “era só dar a bola nele que resolvia”. O apelidou de “Resolve” para que lembrasse que ainda era uma promessa. O sucesso subiu à cabeça.

O próprio Kenedy, ano passado, depois de marcar um gol fez o gesto de silêncio para a torcida, que o perseguia em campo. Foi repreendido pela diretoria e até mesmo por Fred, líder do elenco.

 

 


Sem comentários