Foto: Elise Duque - TJD-RJ

O Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro (TJD-RJ) vai começar a sofrer uma grande reformulação a partir desta quinta-feira Atual auditora do Pleno, a advogada Renata Mansur será eleita como a primeira mulher presidente do Tribunal. Além disso, deve ocorrer uma renovação da maioria (cerca de 80%) dos auditores, assim como a procuradoria geral, de André Valentim.

– Existe machismo grande (na área). Algo que foi trazido de que a área jurídica desportiva não é lugar para mulher. Isso foi sendo desmistificado ao longo dos últimos anos. Quando cheguei, em 2008, não tinha mulher nenhuma. Eu fui a primeira no TJD. Em 2012 ou 2013 começaram a vir mulheres para o tribunal do futebol. Agora posso ser a primeira na história na presidência de tribunal desportivo. Acho que é uma conquista da minha trajetória. Da minha competência, da minha expertise no tema e também vejo vontade do tribunal, pois até agora não tem outro candidato – comentou Renata Mansur, em entrevista ao portal Globoesporte.


A advogada, formada pela UFRJ, com mestrando pela PUC-SP e professora universitária, chega para substituir Marcelo Jucá, há dois anos no cargo. Ela é filha do ex-presidente José Teixeira. A eleição será transmitida pelo YouTube da Ferj, a partir das 19h desta quinta-feira.

– É uma fase de renovação obrigatória. Os auditores no Pleno podem ficar oito anos. Só vão ficar três, o restante vai mudar. Então vai ser uma renovação depois de oito anos. Quero imprimir o empoderamento técnico nas decisões do TJD. Vivemos movimento de se tirar poder dele (do TJD), tanto no âmbito legislativo quanto político – disse Renata.