(Foto: Lucas Merçon - FFC)

Depois de perder por 2 a 1 para o Junior Barranquilla, terça-feira, no Maracanã, Roger Machado explicou suas escolhas para substituições no decorrer do segundo tempo. Com o adversário vencendo por 2 a 0, o técnico trocou peças de iguais características e deixou para arriscar mais no fim do jogo. De acordo com o treinador, mesmo atrás, não poderia abrir o time tão cedo sob o risco de levar mais gols e colocar ainda mais em risco a classificação para as oitavas da Libertadores.

— Não. Penso que as mudanças foram apropriadas para o momento do jogo. Deixei para arriscar um pouco mais faltando dez, quinze minutos, quando abri dois atacantes na frente e fragilizei o meio de campo, deixando apenas um dos volantes. Em busca da vitória não podemos correr o risco de tomar mais gols e perder um dos critérios de desempate, que é o saldo de gols. Temos de estar atentos a isso também: se manter na partida, fazer as alterações, mas não perder o mínimo de equilíbrio, para não tomar gols – disse.

Roger utilizou as cinco mudanças possíveis no decorrer da partida. Num primeiro momento, sacou Kayky, Luiz Henrique e Cazares para as entradas de Caio Paulista, Gabriel Teixeira e Nenê, respectivamente. Depois, trocou Fred por Hernández. Por fim, arriscou com Raúl Bobadilla na vaga de Martinelli.

Com o resultado, o Fluminense segue na liderança do Grupo D da Libertadores, com oito pontos em cinco rodadas. O River Plate vem em segundo com seis, mesma pontuação alcançada pelo Junior Barranquilla. O Santa Fe é o último, com dois. Nesta noite, o River recebe o Santa Fe na Argentina.

Na última rodada, terça-feira que vem, o Tricolor vai à Argentina encarar o River Plate e Santa Fe e Junior se enfrentam na Colômbia.