(Foto: Mailson Santana - FFC)

O time do Fluminense possui um estilo próprio de jogo. Costuma se impor nas partidas com muita troca de bola e movimentação constante. Mas como ficará isso na quinta-feira, quando enfrentar o The Strongest (BOL), no Hernando Siles, na altitude de 3.625 metros acima do nível do mar de La Paz, pela quarta rodada do Grupo D da Libertadores? A resposta é simples para Samuel Xavier. Terá de ser adaptado.

Lateral-direito titular da equipe tricolor, Samuel admite que o Fluminense precisará usar a inteligência a fim de evitar um desgaste desnecerário.


– Ah, cara, tem que ser bastante sincero. A mesma correria que a gente tem aqui no Brasil é diferente lá, né? Acho que é difícil conseguir correr da mesma forma, ninguém consegue. Já vimos cada história aí de jogador que quis fazer a mesma coisa que faz aqui, chegar lá e ter dificuldade, até acabar saindo da partida. Então, temos que ter bastante sabedoria e inteligência – disse em entrevista ao site ge.