(Foto: Lucas Merçon - FFC)

“Esquecido” no Fluminense depois de uma temporada considerada boa no Figueirense, Nogueira segue com futuro indefinido. Sem fazer parte dos planos do clube para a temporada, ele não treina junto com o elenco principal e, assim como o restante do plantel, convive com atrasos financeiros. A situação já causa mal-estar, uma vez que o jogador está fora da vitrine, sem receber e, sequer, foi liberado para fechar com outros clubes que manifestaram interesse, mas não tinham como pagar o valor pedido pelo Tricolor.

Em entrevista ao NETFLU, o empresário do atleta, Carlos Henrique Brazil, disse que apesar da possibilidade de tentar uma rescisão unilateral, devido aos débitos do Fluminense, não fará isto, pois se considera um parceiro do clube. No final do mês de janeiro, ele confirmou ao site número um da torcida tricolor que havia uma proposta do exterior pelo defensor. Também disse que não entendia o motivo pelo qual atleta, revelado em Xerém, não era aproveitado.

– Confesso que achei estranho da parte do clube, pois o jogador foi muito bem no Figueirense, tanto que o clube até tentou sua manutenção, mas acabou ficando sem grana para viabilizar a operação.

Sobre propostas atuais, sobretudo do Figueirense em tentar novo empréstimo, o agente preferiu não se manifestar. Insatisfeito, o atleta mantém sua rotina de trabalho, passando pelas mesmas situações que os atacante Maranhão e Felipe.
Todos os três treinam no mesmo horário dos demais atletas tricolores, mas à parte – ou na academia do clube, ou no outro campo onde não está acontecendo o treinamento do elenco principal comandado por Fernando Diniz – enquanto esperam serem negociados.