Foto: Mailson Santana / FFC

Treinador do sub-20 do Fluminense, Eduardo Oliveira falou sobre o processo de formação no clube em suas categorias de base. Entre os desafios, o técnico comentou a transição da base para o profissional, na qual o jogador precisa estar muito preparado.

Eduardo atenta para o fato da vida do atleta mudar completamente e cita o caso de Gabriel Teixeira, que começou o ano como um atleta de base, destacou-se e rapidamente conquistou sua vaga nos profissionais.

– Hoje, o jogador tem que estar mentalmente bem preparado para transitar de um contexto onde era uma pessoa sem aparição pública. O próprio Gabriel Teixeira fala que, se sair para algum lugar, as pessoas pedem autógrafo. Há um ano, poucos o conheciam. Na transição para o profissional, a vida muda. O menino passa a ter um maior poderio financeiro, notoriedade social… Como é que ele reage? Não é simples. É um grande desafio – comentou ele.