Foto: Edgard Maciel

João Carlos Batista Pinheiro ou, simplesmente, Pinheiro, foi um dos grandes da história do Fluminense. E contribuiu para a formação de outro jogadores que iniciou a carreira no clube e se consagrou como técnico: Abel Braga.

– O mais importante é que entrei no Fluminense com 15 anos, em junho de 68 e  o treinador foi meu grande mestre, meu grande exemplo, aquele cara que sigo até hoje pela conduta que tinha, pela maneira clara, verdadeira e real que lidava conosco: o Pinheiro. Foram quase oito anos trabalhando com ele. Mesmo quando o técnico era outro, ele trabalhava no clube – contou Abel.

Pinheiro formava dupla de zaga com Píndaro na conquista do Mundial de 1952 contra o Corinthians. Conquistou ainda dezenas de títulos internacionais pelo clube além de dois Estaduais e os dois Torneios Rio-São Paulo que o Fluminense detém.

É o segundo com mais atuações pelo clube: 603, perdendo apenas para o goleiro Castilho com 697. Pinheiro morreu em 2011, vítima de câncer na próstata.