peter2A cúpula do Fluminense não tem muito o que comemorar desta temporada. No aspecto financeiro, 2013 é para ser esquecido. Convivendo com penhoras, o clube encontrou a luz no fim do túnel ao retornar à Timemania e praticamente se livrar do processo das penhoras das receitas. Contudo, a diretoria acreditava que o assunto seria resolvido antes do início de 2014. Algo que não aconteceu e o calvário fiscal segue nas Laranjeiras.

De acordo com o portal Lancenet, quase todos os trâmites para resolver o problema fiscal do Fluminense foram resolvidos quando a presidente do Brasil, Dilma Rousseff, sancionou a MP 618, garantindo ao Tricolor à volta a loteria federal. Porém, a reunião com o procurador-geral da Fazenda Nacional, Luiz Inácio Adams, que daria o aval para a liberação das penhoras, ainda no fim deste ano, não aconteceu, devido aos recessos de fim de ano, e o Fluminense ainda terá de aguardar janeiro para resolver.

Assim, o planejamento que envolve o departamento de futebol acaba ganhando um retrocesso, devido à questão financeira. Tanto que o clube teve de aceitar a imposição de Celso Barros e contratar Renato Gaúcho como treinador. Assim, o patrocinador arcará com 70% dos vencimentos dele e da comissão, deixando o Flu com apenas 30% das despesas.


Sem comentários