Na noite deste sábado, o Fluminense iniciou a disputa da final do Campeonato Carioca de 2021, contra o Flamengo, no Maracanã. Com atuação ruim no primeiro tempo, o Tricolor melhorou na segunda etapa e buscou o empate por 1 a 1 com o Rubro-Negro. Gabriel Barbosa abriu o placar de pênalti e Abel Hernández, de cabeça, deixou tudo igual no segundo tempo. O resultado deixa a decisão para o jogo da volta em aberta. Quem vencer, será campeão. Novo placar de igualdade, leva para os pênaltis.

O jogo começou nervoso e faltoso. Com poucos minutos, Martinelli já havia dado duas entradas e ficou marcado pelo juiz, enquanto Diego entrou por cima da bola, de sola, em Calegari, e nem amarelo levou. Já era uma mostra de que a partida seria tensa. Aos 17′, em falha de Egídio na saída de bola, a arbitragem assinalou pênalti do lateral em Gerson. O atleta tricolor errou três vezes: primeiro no passe, depois no corte e, por fim, fazendo a falta. Gabriel Barbosa bateu e abriu o placar para o Rubro-Negro: 1 a 0.

O Fla era melhor. Tinha mais a posse da bola, chegava com mais perigo ao ataque e acuava o Flu em seu campo de defesa. O Tricolor, claramente, perdia no meio-campo. Precisava de mais pegada para melhorar a marcação e botar mais a bola no chão, acertar o passe e explorar a velocidade de Kayky e Gabriel Teixeira nas pontas para chegar ao ataque. Na melhor chance dos Guerreiros no 1º tempo, Calegari foi ao fundo, cruzou para trás e Fred, livre de marcação, acabou furando e perdendo uma boa chance.

Na volta para a segunda etapa, Roger promoveu a entrada de Cazares no lugar de Nenê para tentar dar mais dinâmica no meio e qualidade no passe. A equipe teve uma melhora. Em chute cruzado e sem ângulo, Calegari quase empatou em falha do goleiro rubro-negro. Apesar disso, o Fla ainda era perigoso e levava vantagem no meio com os espaços que o Tricolor fornecia. Em cruzamento de Arrascaeta da direita, Bruno Henrique quase ampliou, mas tocou mal.

Na reta final de jogo, o técnico tricolor fez uma mudança tripla no ataque, colocando gás novo na frente para tentar buscar o empate. E foi dos pés – ou melhor, da cabeça – de dois deles que o empate saiu. Egídio levantou na área, Luiz Henrique escorou para o meio e Abel Hernández cabeceou para o gol e deixou tudo igual: 1 a 1. Minutos depois, o Tricolor perdeu uma chance de ouro de virar. Luiz Henrique entrou completamente sozinho, bateu rasteiro na saída do goleiro e jogou para fora.

Os minutos finais foram lá e cá, mas o placar não se alterou. O Time de Guerreiros agora “vira a chave” novamente para a Libertadores. Na próxima terça-feira, às 21h30, no Maracanã, o Fluminense recebe o Junior Barranquilla (COL) e joga por um empate para garantir matematicamente sua classificação às oitavas de final do torneio continental.

O Time de Guerreiros entrou em campo com: Marcos Felipe, Calegari, Nino, Luccas Claro, Egídio, Martinelli, Yago, Nenê (Cazares 00’/2ºT), Gabriel Teixeira (Caio Paulista 20’/2ºT), Kayky (Luiz Henrique 20’/2ºT) e Fred (Abel Hernández 20’/2ºT)