(Foto: Lucas Merçon - FFC)

O diretor esportivo de futebol do Fluminense avisou ao presidente Pedro Abad: se os salários atrasados dos jogadores não forem pagos até 31 de janeiro pedirá demissão. Mas ao contrário do que se poderia supor, a atitude do dirigente foi recebida com serenidade pela cúpula. O clube diz ter certeza de que terá os recursos necessários até, no máximo, dia 1º de fevereiro, embora a direção tenha estabelecido 31 de janeiro como limite.

O discurso do diretor esportivo não é inédito em sua carreira. Quando esteve no Vasco, por exemplo, ele também empenhou sua palavra para o elenco, mas saiu após a gestão de Roberto Dinamite não cumprir o acordado.

O plano tricolor é que os 100% da venda de Wendel ao Sporting (POR) entrem nos cofres até o fim de janeiro, mas o clube luta contra uma penhora de 30% referentes à venda do volante, vendido ao futebol português por 7,5 milhões de euros (R$ 29,6 milhões).

Mesmo com alguns percalços no caminho, o diretor [assim como o técnico Abel Braga] deposita confiança no trabalho de Abad, visto por ele como uma pessoa de boas intenções no comando do clube. O voto foi dado, mas Autuori não deve quebrar sua promessa. O presidente, por sua vez, reiterou sua palavra.