2Levir Culpi é o novo treinador do time das Laranjeiras. De 2012 pra cá, o Fluminense já teve Abel, Luxemburgo, Dorival Jr., Renato Gaúcho, Cristóvão Borges, Ricardo Drubscky, Enderson Moreira e Eduardo Batista. É muito para a tradição do clube!

O novo técnico saiu do Atletico-MG em novembro do ano passado após conquistar a Copa do Brasil, o Estadual e garantir a vaga do time mineiro na Libertadores. Se não fosse a proposta do Fluminense, Levir poderia ter deixado o futebol. Ainda bem que veio…

Em sua apresentação, o comandante dissertou sobre a atuação dae quipe que venceu a partida contra o America-RJ. Sobre o elenco do Flu, comparou-o com os demais clubes brasileiros, ressaltando que “todos são do mesmo nível”. Levir tem os pés no chão, nas Laranjeiras, no caso. Orgulha-se de dirigir um time do tamanho do Fluminense, mas tem consciência da nova e grande responsabilidade. Declarou: “Só as vitórias garantem vida-longa ao clube”.

Pois bem, abrindo os trabalhos no Flu, observou primeiramente o treino dos reservas, e só depois conversou com os titulares, longe das câmeras. Sobre o método de treino, preferiu dar continuidade ao trabalho do interino e meu amigo Marcão, que esteve à frente do time por dois jogos no Carioca.

A estreia ocorreu na noite da última quinta-feira, contra o Criciúma, pela Primeira Liga. Com apenas três dias de trabalho desde sua chegada ao Rio, o treinador deu um bom passe de primeira, vencendo a partida por 2 a 0 e garantindo a classificação para a próxima fase da competição. Sua atuação durante o jogo foi de calma e observações, além de estar bem atento e com os ouvidos abertos para as opiniões do auxiliar Marcão. Notável que, em um momento de aflição do jogador Jonathan, que cometeu alguns erros de cruzamento, Levir não foi “leviano”, e com sensatez, incentivou o jogador a seguir com as tentativas. No final do jogo, o novo comandante gostou do que viu, deixando o campo com o Tricolor líder do grupo na competição e confiante para voltar aos trilhos neste ano.

Já no primeiro clássico do treinador, neste final de semana contra o Botafogo, o Flu sofreu para buscar o empate, que só aconteceu nos acréscimos do jogo. Foi a primeira oportunidade para Levir Culpi escalar a força máxima do time. Ainda assim, estava nítido a falta de ofensividade e produção do time tricolor.

Os próximos jogos são importantes para o clube. Domingo, será a vez de outro clássico carioca, agora contra o Flamengo. Três dias depois, tem decisão na Primeira Liga, onde o Flu disputará a vaga da final com o Internacional. Para isso, Levir terá muito que trabalhar nesta semana com folga de partidas.

Eu, como mais um tricolor, estou junto, na torcida pelo Levir. Atuando com ele no Atlético-PR, conheci seu trabalho e sei da sua capacidade de erguer o nosso Fluminense.

É um quebra-cabeça complicado de se resolver. Mas encaixando peça por peça, surgirão esperanças para a nave tricolor fazer grandes voos e decolar cada vez mais alto.

Um grande abraço do Coração Valente!