(Foto: Mailson Santana - FFC)

Marcílio Florêncio Mota Filho, ou simplesmente Nino. Titular da zaga do Fluminense, o defensor tem brilhado com a armadura tricolor desde que chegou às Laranjeiras, o que o fez chegar até a seleção olímpica, que conquistou a medalha de ouro nas Olimpíadas de Tóquio.

Em entrevista ao portal GE, Nino contou a origem de seu apelido, que nasceu ainda na infância. No entanto, ao contrário do que muitos pensam, não vem de “pequenino”.

– Não é de pequenino, não (risos). Meu pai se chama Marcílio, assim como eu, e quando eu era pequeno ele dizia: “Esse aqui é meu menino”. Por isso virou Nino. Quando estava no futsal com sete anos, algumas crianças tinham dificuldade de falar Marcílio, e aí falaram: “Chama de Nino”. Meu pai achou que seria mais interessante para o narrador, comentarista, aí a gente passou para frente (risos) – disse ele.