Em seu reencontro com o Maracanã depois de quase dois meses, o Fluminense, poupado de muitos titulares, encarou um Grêmio em busca da reabilitação. Num jogo morno, a equipe de Roger Machado pouco produziu, assim como o adversário. Entretanto, um pênalti polêmico no final, assinalado pelo VAR, deu a vitória para os gaúchos por 1 a 0.

Os primeiros 15 minutos foram mornos no Maracanã. O Fluminense rodava a bola em busca de espaço e não encontrava. Já o Grêmio se fechava bem, mas não conseguia encaixar contra-ataques. Naquele momento, o único chute a gol do jogo foi o de Biel, para defesa de Chapecó.

A partida seguiu infrutífera. Para se ter ideia Os goleiros Muriel e Gabriel Chapecó não fizeram. Era muita transpiração, mas pouca inspiração dos jogadores de linha no Maracanã. Abel Hernandez, por exemplo, quase não tocou na bola. Ganso, responsável pela criação de jogadas, também não conseguiu desequilibrar.

No segundo tempo, a equipe verde, branca e grená chegou a acertar a trave com Luccas Claro e também levou uma bola no travessão. As emoções se resumiram praticamente a isto. Tal qual a etapa inicial, Muriel e Chapecó quase não sujaram o uniforme.

Quando o jogo se encaminhava para um 0 a 0 modorrento, 0 a 0, o VAR assinalou pênalti e o árbitro confirmou, depois que o Grêmio já estava perto de cobrar uma falta fora da área. Sem intensidade nenhuma, o Fluminense não teve forças de buscar o empate, após gol de Pomares no apagar das luzes.