(Foto: Jorge R Jorge/BP Filmes)

Responsável pelo uso do VAR no Cariocão 2020, a empresa Hawk-Eye moveu uma ação contra a Ferj (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro) em virtude de uma dívida de R$ 450 mil no fornecimento do serviço para os jogos da fase final do estadual do ano passado.

No processo, a empresa se refere a 13 partidas que o sistema de arbitragem por vídeo foi utilizado. Os valores cobrados eram de R$ 25 mil ou R$ 40 mil, dependendo da partida. Também há um acordo para o pagamento do total em três parcelas entre os meses de fevereiro e março de 2021 que não teria sido efetuado.

A Hawk-Eye afirma que foi procurada pela federação durante o campeonato deste ano para fazer os jogos finais do torneio. A empresa se propôs a fazer o serviço na condição de haver o pagamento das dívidas retroativas e a antecipação dos valores para o novo serviço. Como não houve a quitação, a Ferj contratou outra empresa para o árbitro de vídeo.