Conselheiros entendem que Flu perdeu a chance de montar acordo vantajoso quando o atacante não estava tão valorizado (Foto: Lucas Merçon - FFC)

O fato de o Fluminense ter renovado o contrato de Caio Paulista por mais um ano (até dezembro de 2021) sem a opção de compra gerou insatisfação de alguns conselheiros no clube. Eles entendem, segundo apurou o NETFLU, que, como o atacante não era cobiçado pelo mercado naquele momento, o Tricolor tinha a faca e o queijo na mão para fechar um acordo mais vantajoso.

Em vez disso, agora corre novamente o risco de virar vitrine e acabar inflacionando o jogador no mercado.

Da forma como o acordo foi costurado, o empresário Eduardo Uram tem autonomia para fixar um valor que considerar mais justo para a venda de Caio Paulista por parte do Tombense-MG.

Alguns clubes estão de olho, mas o próprio atacante já afirmou ter o desejo de seguir no Fluminense.