Diretoria tem recebido indicações (Foto: Mailson Santana - FFC)

Na coletiva dos seus dois anos de gestão à frente do Fluminense, Mário Bittencourt foi questionado sobre as áreas social e de esportes olímpicos do clube serem deficitários. Tal demanda é alvo de fortes cobranças dos tricolores. Na resposta, o presidente falou sobre o compromisso de recuperar as áreas da instituição.

— Quando a gente se propõe a uma candidatura, você se propõe a recuperar todas as áreas daquela instituição. O nosso projeto de gestão em relação a essas áreas era e é a autossustentabilidade. E os projetos incentivados são fundamentais para essa autossustentabilidade – iniciou, prosseguindo:

— Esse assunto volta e meia vem à tona, mas o fato da gente publicar os números e ter separado em centro de resultado, a gente está expondo isso. Muitos sabem que no passado esses números eram colocados dentro do balanço sem nenhuma clareza. Esse já o primeiro grande passo de transparência e o primeiro grande passo para recuperar as áreas ou para em um determinado momento dizer: você teve todas as ferramentas para se recuperar e não se recuperou. E a gente tem que fazer cortes.

Por outro lado, Mário Bittencourt destacou o cenário complicado com a pandemia do novo coronavírus, que torna ainda mais difícil a situação financeira do clube.

— Não é justo que eu tenha me proposto a lutar pela autossustentabilidade dessas áreas e nós, feridos por uma pandemia… Eu não continue dando esse voto de confiança e de credibilidade para que a gente possa recuperar essas áreas. A gente não sabia de uma boa parte da dívida fiscal quando a gente entrou. Nós estávamos excluídos de um parcelamento – falou.