Foto: Nelson Perez/FFC

A diretoria do Fluminense contraiu dois empréstimos, de um total de R$ 36 milhões, e pagou quatro meses de direitos de imagem em atraso dos jogadores. O débito quitado é metade da pendência. A outra será feita no final deste mês de maio.

Como os juros desta operação foram menores, o clube fez uma espécie de troca de dívida. Quitou as que tinham parcelamento maiores a vencer em 2017, aliviando o fluxo de caixa, e renegociou prazos. O começo, no entendimento tricolor, da solução de um grande problema.

– Tivemos um soluço nos direitos de imagem, mas está resolvido. Estamos quitando tudo em maio. A gente fez duas operações em instituições financeiras. Em uma, gente reduziu a taxa de juros pela metade. E, na outra, reduziu em 1/3. Nesse processo de reestruturação, a gente quitou dívidas maiores. Quito dívida cara e fico com dívida mais barata, assim, meu compromisso mensal diminui. Me sobra mais caixa. Fizemos redução drástica no custo do dinheiro do clube – explicou o vice de finanças Diogo Bueno.