Peter diz que verba pública é justa, pois o Fluminense dá retorno à sociedade (Foto: Paulo Brito - NETFLU)

Pelo trabalho no esporte olímpico, o Fluminense recebeu, em evento nesta sexta-feira, nas Laranjeiras, a quantia de R$ 2.375.310,06 da Confederação Brasileira de Clubes (CBCf). Feliz pelo reconhecimento, Peter Siemsen não considera esse aporte como uma economia, mas como a possibilidade de melhorar a qualidade da estrutura oferecida aos atletas tricolores. O presidente aponta onde será feito o investimento.

– Na verdade, não é economia, é elevar o padrão da formação. Está se investindo em infra-estrutura melhor, uma estrutura que já existe. É uma evolução para os atletas se formarem melhor, tanto esportivamente quanto até no alto desempenho. Já foi deixado claro quais os esportes serão alvos de investimento. O ginásio, parte do investimento, é na melhoria, que vai permitir um trabalho melhor. Ter um placar eletrônico é legal? É legal, mas não é diferencial. A questão do piso, que realmente era bastante antiquado, é muito importante. Essa mudança vai dar uma condição melhor aos atletas – explica.

O Fluminense foi selecionado para receber verba pelo projeto “Formando atletas tricolores”, no voleibol, basquete, natação, nado sincronizado, saltos ornamentais e polo aquático, além do basquete de cadeira de rodas.