(Foto: Lucas Merçon - FFC)

Sem jogar desde o dia 17 de abril, na vitória sobre o Botafogo, por 1 a 0, em duelo válido pelo Campeonato Carioca, o atacante John Kennedy viveu momento bem complicado no último mês. O departamento médico do Fluminense pediu, após os 15 dias de quarentena assim que foi diagnosticado o coronavírus, que o atleta retomasse os trabalhos paulatinamente. As sequelas prejudicaram a continuidade do jogador na equipe principal.

O NETFLU apurou com pessoas próximas ao atleta que ele desenvolveu uma pneumonia, perdendo bastante capacidade pulmonar. Ele já havia sofrido com pneumonia quando era mais jovem, por isso preferiu-se resguardá-lo.
Neste momento, o jogador está perto dos 100%.

Entendendo que a JK é jovem e não havia necessidade de colocá-lo em campo sem toda a sua capacidade pulmonar em dia, a comissão técnica preferiu aguardar. Enquanto isso, Bobadilla e Abel Hernandez seguem sendo as principais alternativas a Fred.

John Kennedy começou a apresentar sintomas de gripe às vésperas da estreia do Fluminense na Libertadores e, por precaução, ficou fora da lista de relacionados para o primeiro jogo, contra o River Plate, no dia 22 de abril, no Maracanã.

Já afastado preventivamente, o atacante testou positivo para Covid-19 no dia 28 de abril e deu início à contagem de dez dias de isolamento. Em razão dos fortes sintomas, porém, o departamento médico do Fluminense estendeu o período.

O atacante tem oito jogos disputados e dois gols marcados em 2021. No total, ele entrou em campo 15 vezes pelo Fluminense, deixando a bola nas redes em quatro oportunidades, desde que estreou nos profissionais.