O Fluminense segue correndo contra o tempo, para conseguir mecanismos que viabilizem sua saúde financeira. De acordo com reportagem do portal Lancenet, depois do fim da janela de transferências europeia e da decisão de não vender o atacante Pedro, o Fluminense pode enfrentar um caminho complicado para encontrar um patrocínio master. Para evitar este panorama, o clube vai em busca das certidões negativas de débitos (CNDs).

A reportagem ressalta ainda que, quando o Flu aderiu ao Profut, o governo ofereceu aos devedores um parcelamento, pagando mais na adesão e dividindo o restante do débito em 20 anos. Assim, o Tricolor ficou em dia e conseguiu a CND. Porém, com a enorme dificuldade financeira, o Flu teve problemas com o pagamento dos tributos e perdeu a certidão, que tem validade de seis meses.

Por fim, esse era um dos motivos que o clube tinha para querer faturar ainda mais com a venda de Pedro – além de só ter direito a 50% do valor. Com isso, a equipe das Laranjeiras corre atrás para tentar pagar o que deve até o final do ano para tentar iniciar a próxima temporada já com uma nova marca estampada no espaço nobre de sua camisa. A CND também é exigida para a obtenção de patrocínio estatal, por exemplo. Em 2015, o clube tentou avançar em conversas com a Caixa Econômica Federal, porém, ficou fora da lista do banco de patrocínios.