Cano já tem 40 gols no ano e não quer parar por aí (Foto: Lucas Merçon - FFC)

Campeão da Libertadores e, consequentemente, classificado para a competição no ano que vem, além de estar em vias de disputar o Mundial de Clubes na Arábia Saudita, o Fluminense ainda tem mais duas partidas para disputar no Campeonato Brasileiro. Na penúltima rodada, encara o Palmeiras, no Allianz Parque, domingo. Na despedida, recebe o Grêmio, no Maracanã, quarta que vem. Se esportivamente o restante da competição nacional não tem grande valor, há alguns aspectos que garantem a motivação tricolor para os dois jogos. O site ge listou e analisou. Confira:

Premiação
As premiações do Campeonato Brasileiro de 2023 não foram divulgadas oficialmente pela CBF nesta temporada. Mas os valores não serão tão diferentes do ano passado e devem apenas ser ajustados pela inflação.


Com 56 pontos e ao menos a oitava colocação garantida no Brasileirão, o Fluminense já acumulou cerca de R$ 30 milhões na competição pelo desempenho deste ano.

O clube pode terminar entre sexto e oitavo lugar. Se encerrar o Brasileirão no G-6, o clube conquista ainda mais R$ 4,7 milhões aproximadamente.

Máquina de gols
Com 40 gols na temporada, Cano segue empilhando recordes e acumulando estatísticas positivas. Com mais dois jogos do Fluminense pela frente no Brasileirão e mais dois no Mundial de Clubes, o argentino tem chances de igualar sua própria marca de 44 gols do ano passado.

Mesmo após o título da Conmebol Libertadores, em que foi o artilheiro com 13 gols em 12 jogos, o centroavante pediu para estar nos jogos e seguir ativo na preparação para o Mundial.

E ele vem em uma crescente. Cano fez três gols entre setembro e outubro. Três gols decisivos – dois no jogo de ida e um na volta nas semifinais contra o Internacional. Somente em novembro, o atacante acumula quatro gols – um na final contra o Boca Juniors e outros três no Brasileirão.

Obsessão de Diniz por vitórias
Desde que o Fluminense ganhou a Conmebol Libertadores e não tinha mais grandes pretensões no Brasileirão, o técnico Fernando Diniz descartou qualquer discurso de relaxamento do elenco. “Obcecado por desempenho”, o treinador reforça a cada coletiva que o objetivo é respeitar a competição e os adversários apresentando o melhor que o Fluminense puder.

Mas deixando claro que existe também um planejamento para poupar e até mesmo preservar jogadores para o Mundial de Clubes. Desde a conquista inédita, o time apresenta boas atuações e acumula dois empates, contra Internacional e Flamengo, e três vitórias, contra São Paulo, Coritiba e Santos.

Contra o Peixe, na Vila Belmiro, por exemplo, o Fluminense tinha condições de prejudicar o rival Vasco na luta para permanecer na Série A, já que enfrentava um concorrente direito do time de São Januário na briga pelo descenso. Mas o Flu venceu por 3 a 0.

— Temos um compromisso muito grande com o futebol e a ética do jogo. Depois da Libertadores nos comprometemos a jogar da melhor forma possível. Nesse momento a gente falou que queria entregar tudo e se preparar para a estreia do Mundial – disse Diniz após o jogo contra o Santos.

Testes para jogar o Mundial
Com dois empates e três vitórias após o título da Conmebol Libertadores, o técnico Fernando Diniz sofre com baixas ao longo das partidas por lesões, problemas médicos e suspensões, mas também dá espaços para vários jogadores.

Nos últimos jogos, inclusive, nomes como Thiago Santos e Martinelli ganharam espaço e estão correspondendo. Thiago Santos foi alvo de críticas ao longo da temporada, mas é um dos melhores do time nas últimas partidas.

Enquanto Martinelli, que já foi titular na reta final da campanha do título, cresceu de produção e ganha cada vez mais confiança – ele fez um gol e de uma assistência contra o Santos, na última quarta-feira.

Contra Palmeiras e Grêmio, Diniz terá a chance de testar mais jogadores, consolidar a lista com 23 inscritos que irão disputar o Mundial, além de encaminhar a equipe titular que deve disputar a semifinal. Após as partidas, o clube terá 12 dias sem jogos, ou seja, terá somente os treinamentos para se preparar.

Despedida de parte da torcida e do Maracanã
Contra o Grêmio, na última rodada, o Fluminense também viverá um momento especial com o torcedor. Será o último jogo da equipe em 2023 na temporada e, consequentemente, no Maracanã, onde acumula o feito de ser o melhor mandante do Brasileiro e foi campeão da Conmebol Libertadores.

A torcida tricolor também está cotada para apoiar o time em bom número em Jidá, durante o Mundial de Clubes, mas esta será a oportunidade final de muitos tricolores de acompanharem este time vencedor presencialmente.

Despedida de ídolos
Ainda não existe nenhuma saída confirmada oficialmente, mas a tendência é que o Fluminense perca jogadores para a próxima temporada. O presidente tricolor, Mário Bittencourt, já afirmou várias vezes publicamente que André e Nino não devem permanecer para 2024 por conta das investidas do mercado. Com isso, os torcedores que não poderão acompanhar presencialmente o time em Jidá, terão possivelmente contra o Grêmio a última chance de ver ídolos em ação no Maracanã.