O polêmico Milton Neves voltou a atacar o Fluminense. Em uma postagem no site “Terceiro Tempo”, acusou o Internacional de “Fluminensiar” para evitar o rebaixamento, citando a possibilidade de o clube gaúcho buscar no STJD a permanência na Série A do Brasileiro. O tetracampeão brasileira, em postagem na rede social Medium, responde. Veja na íntegra:

Entendeu ou quer que desenhe, Milton?

Desde terça-feira, dia 29 de novembro, o Brasil está de luto. Em respeito ao fato, ao analisar a cobertura midiática, tínhamos a convicção de que o jornalismo nacional teria sensibilidade e seriedade. Foi assim em praticamente todos os veículos, especialmente nas TVs Fox e Globo, que tiveram a perda de grandes profissionais. Uma voz, porém, destoou do clima reflexivo que norteou os meios de comunicação do país nos últimos dias.

O jornalista Milton Neves cometeu uma enorme ignorância ao citar o nosso Fluminense Football Club e compará-lo ao Sport Club Internacional, que entrou com um recurso no STJD na tentativa de permanecer na Série A de 2017. Se o objetivo foi fazer humor, o que por sinal não deveria ser o seu papel, nem o comediante mais medíocre do mundo deve ter achado engraçado, ainda mais por ser logo após uma tragédia tão dolorida.

Talvez muitos se esqueçam, até porque quase todos os episódios ocorreram no século passado, mas diferentemente por exemplo do próprio Inter ou mesmo do Botafogo em 1999, no Caso Sandro Hiroshi, o Fluminense jamais entrou com um recurso no STJD para tirar pontos de um adversário e garantir a sua permanência na primeira divisão. É só analisar a história de modo justo, isento, leal, imparcial, neutro e correto para constatar.

O Fluminense tem a tradição de praticar tanto a fidalguia que até se recusou a entrar com uma ação no STJD contra o Santos em 1996. No Campeonato Brasileiro daquele ano, o time de Milton Neves tinha escalado o atacante colombiano Usuriaga irregularmente. Todos sabiam. O Tricolor, no entanto, não quis prejudicar o rival e acabou por não evitar a sua queda naquele ano, que apenas foi revertida por causa do Caso Ivens Mendes.

Infelizmente, enquanto a Colômbia dá um exemplo de dignidade e solidariedade para todos nós, o Brasil ainda tem certos personagens que tentam estimular práticas de ódio e bullying em seus discursos, sem qualquer critério com o que fala ou escreve. De nossa parte, podem ter certeza, quando a imagem institucional do Fluminense for minimamente afetada, estaremos aqui, muito vigilantes, para sempre defendê-la, doa a quem doer.